Quarta-feira, 11 de Agosto, 2010

 

A Srª Anabela Freitas é utente do Centro Luis de Camões-IPSS, colaboradora activa nas actividades do Centro Social com um percurso profissional e atitude cívica que motiva a divulgação do testemunho.

Esta Entrevista enquadra-se na actividade do Centro Comunitário Jardins dos Ilhéus – área -Competitividade Social(Empregabilidade, Aprendizagem ao Longo da Vida, Certificação de Competências, Tecnologias da Informação, Tecnologias da Informação e Comunicação).

Da parte do CCDLC participam na Entrevista, a Drª Rubina de Barros(RB)socióloga, Coordenadora Técnica e Dr. Renato Costa(RC), Director .

 

- RB – Srª Anabela Freitas, obrigada por ter aceite esta entrevista, descreva por favor , a sua profissão?

- AF – Trabalho na Hotelaria há 21 anos , inicialmente como estagiária, mas presentemente como Pasteleira de 1ª.

- RB – Quais são as suas habilitações literárias? Continua a estudar?

- AF – Tenho o 6º ano de escolaridade , continuei a estudar na Venezuela, contudo não foi equiparado em Portugal.

Mas sempre, gostei muito de estudar, frequentei 2 cursos de Pastelaria, Secretariado e Contabilidade, Informática , Relações Humanas, Inglês, e 2 cursos de Higiene Alimentar, …a vida familiar e  profissional não possibilitaram mais.

- RB - … Participou no Programa das Novas Oportunidades?

- AF – Sim, decidi candidatar-me ao processo de reconhecimento, validação e certificação de competências , porque sentia com capacidade para obter o 9º ano de escolaridade.

- RB – e como decorreu o processo?

- AF – Em termos de prazo foram 7 meses. Resumidamente, organizei a “História de (minha) Vida”, nas competências-chave “Linguagem e Comunicação”, “Matemática para Vida”, “Cidadania e Empregabilidade” e “Tecnologias da Informação e Comunicação”.

Na fase final, apresentei a “História da (minha) Vida” perante um Júri constituído para o efeito.

-RB- Poderia aprofundar melhor relativamente  à História de Vida e as competências –chave, nomeadamente ,o que mais gostou e as dificuldades iniciais do processo RVCC ,concretamente  como foi “dando a volta”?

-AF- Sim, claro, a grande dificuldade foi voltar a ter hábitos de estudo mas a vontade de estudar era e é grande , assim…

 

 

 

Portfólio Reflexivo de Aprendizagem(História de Vida)

Na História de Vida gostei muito de fazer pesquisa sobre a minha vida  pelas emoções que fui revivendo.

Mas inicialmente tive muita dificuldade, fiz apenas “um pequeno resumo” porque pensava que não tinha nada para dizer. O Professor disse me então, que não interessava conhecer a vida das pessoas, mas o processo de aprendizagem sobre os acontecimentos da vida  pessoal . Então, na pesquisa fui descobrindo o que poderia fazer se as condições fossem outras ou o que faria hoje…

 

LC-Linguagem e Comunicação

Gostei de ler e interpretar o livro “Pais brilhantes , Professores fascinantes” escrito por um psicólogo sobre a educação dos filhos,” responsabilizar e deixar os filhos viver a vida deles”

Falar sobre o livro e a História de Vida foi relativamente fácil, mas a dificuldade está em escrever, registar ideias por forma a fazer sentido

 

CE- Cidadania e Empregabilidade

Foi muito agradável efectuar pesquisa e falar e escrever sobre a educação ambiental, o ecoponto, e ,por outro lado sobre os Direitos e Deveres de Cidadania.

Posso afirmar que não tive dificuldade nesta competência -chave

 

MV-Matemática para Vida

“notação científica”, foi mesmo difícil traduzir as minhas vivências em processos de cálculo de “contas”.Penso que deveria haver mais horas de formação nesta competência –chave.

No entanto, com a aprendizagem, acabei por gostar de efectuar as “contas” em folha de cálculo Excel , sobre o orçamento doméstico, as receitas de bolos e a área de superfície das salas da minha casa.

 

TIC-Tecnologias da Informação e Comunicação

“o ambiente dos computadores  e o que eles proporcionam foi o que mais gostei da aprendizagem na tic`s, articulado  com o processo RVCC, e também a preparação do power point sobre a História de Vida.

Gostei de partilhar e da ajuda que os meus filhos me deram na prática dos computadores. Claro, que tive dificuldade na utilização do scanner, envio de email, pesquisa electrónica , não tanto no teclado (word, )

 

- RB- globalmente, quais as dificuldades que sentiu neste processo RVCC –Reconhecimento ,Validação e Certificação de Competências?

Como disse atrás, readquirir hábito regular de estudar não é um processo fácil, sobretudo, estando empregada e com vida familiar. No entanto, com apoio familiar é possível dar a volta ao processo.

Quero salientar, o apoio de uma colega de trabalho, que sempre esteve disponível para a troca de horários de trabalho por forma a poder participar nos compromissos do processo “Novas Oportunidades”.

- RB - … no entanto teve de enfrentar o desemprego?

- AF – sim, isso afectou a motivação no meu processo RVCC porque ocorreu no mesmo período. Sobre o desemprego, a gente pensa que isso só acontece aos outros, mas quando chega a nós , dói muito, chora-se pelos cantos da casa… Era um dia de folga, telefonaram-me do trabalho, às 8 horas da manhã, para estar no local de trabalho às 14 horas… e a partir dessa tarde passei á situação de desempregada…como disse , passei dias a chorar, e o pior foi ver o choro e tristeza dos meus filhos, por verem a mãe chorar…

Mas um dia … parei de chorar, tinha de arranjar uma saída para a situação.

- RB - … e o processo das Novas Oportunidades?

- AF – pensei mesmo em desistir, porque não valia a pena estudar, quando somos trocados, no caso da minha profissão, por “pastelaria congelada”… mas depois decidi continuar aproveitando o tempo disponível. Foi muito bom estudar com os meus filhos, e sobretudo, ter o apoio deles, em alguns trabalhos. Esta reflexão sobre o desemprego foi apresentada ao Júri do Processo RVCC

- RB – Mudando de tema, descreva a sua participação nas actividades do CCDLC- Centro Luis de Camões - IPSS?

- AF – inicialmente acompanhei os meus filhos nas Actividades de Verão do CCDLC. Fui tendo conhecimento da área de actividade para o Emprego e Aprendizagem associada a animação cultural (Educação Pela Arte).

Tendo sido constituído um Grupo de Utentes para realizar uma peça de teatro “Vale sempre a pena , aprender” , foi-me proposto a personagem de Professora.

Gostei muito de “viver” e representar a personagem , porque foi sempre o meu sonho “Ser Professora”.

Gostei muito também do grupo de colegas e da Animadora Márcia.

- RB – presentemente , qual a sua situação Profissional?

- AF – Continuo desempregada. Desempenho funções numa Escola, como cozinheira, no âmbito de um programa de ocupação de desempregados.

É uma nova experiência profissional, na cozinha, e o contacto com alunos/crianças de várias origens tem sido uma autêntica aprendizagem da vida.

- RB – e agora Srª Anabela, qual a evolução profissional?

- AF – espero voltar à minha profissão de pastelaria e poder evoluir.

Relativamente às “Novas Oportunidades” o que aconteceu foi a validação e certificação de “História de (minha) Vida(competências –chave) Gostaria mesmo de continuar ,e para já estou matriculada para o processo RVCC equivalente ao 12ºano de escolaridade.

- RC – Srª Anabela , falou da “pastelaria congelada”.Sabe que existem presentemente, novos processos de fabrico na pastelaria? Frequentou essa formação?

- AF – Não, nunca frequentei, mas tenho conhecimento que existem esses processos.

RC – Estaria preparada para constituir um negócio próprio/pequena empresa?

- AF – Acho que sim, era um desejo que irei realizar, mas tenho a noção que é preciso muita formação na área financeira. Por agora vou continuar a estudar.

-RC- Sei que emprestou o Processo RVCC (documental) a pessoa(s) amiga(s), qual a opinião deles?

-AF- De modo geral, ainda não conseguem enfrentar o desafio de readquirir hábitos de estudo, pelas dificuldades da vida diária. Tenho uma amiga que está no processo RVCC 12º ano de escolaridade.

- RB – Srª Anabela não tenho mais questões.Desejo muitas felicidades pessoais e profissionais e que mantenha a vontade de estudar.

- RC – Faço minhas as Palavras da Drª Rubina e desejo que mantenha a ligação a este Centro Social.

- AF – Muito obrigado, pela oportunidade na divulgação da minha experiência profissional e pessoal.Sempre que precisarem estarei disponível, consoante horário do trabalho e família.

publicado por Renato Costa às 17:53

É muito importante mesmo promover oportunidades de aprendizado complementares que auxiliem a integração ao mercado de trabalho e promovam o crescimento pessoal. Todos precisamos e não só os que ficam desempregados. Esta foi a nossa experiência com o Vida em Sociedade que trabalha com moças de 14 a 25 anos e se revelou muito produtiva.
Bom depoimento e entrevista.
Abraços,
Vida em Sociedade
http://vidaemsociedade-sa.blogspot.com/


Vida em Sociedade a 11 de Agosto de 2010 às 19:56

Obrigado pelo comentário e incentivo.O objectivo do blog é também trocar experiências neste processo de melhoria de qualificações pessoais e profissionais.
Suponho que a vossa experiência é do Brasil? Seria interessante conhecer o vosso processo?
A nossa instituição fica em Portugal Madeira.
CCDLC
Renato Costa a 12 de Agosto de 2010 às 17:49

A Ilha da Madeira? Vocês tem o sotaque mais bonito do mundo! São um charme de pessoas! Conheci algumas aqui no Brasil.

Toda a minha experiência de preparação de jovens está vinculada à ação da Igreja Católica e, portanto, vocês aí devem ter exemplos.

No nosso trabalho especificamente, acreditamos que tudo o que você faz pelas mulheres beneficia os filhos e a família e conseqüentemente tem um efeito multiplicador sobre toda a sociedade. Por isso tudo que você ensine, propicie, faça pelas mulheres é muito benéfico.

Nesse sentido, várias senhoras ensinavam o que sabiam a moças jovens: caramelado, confeite de bolo, inglês, português, costura,informática, etc.
Enfim o que cada uma sabia.

Um dia a freirinha disse que algumas das meninas como vinham de situações muito desprivilegiadas não tinham bons modos. Então criei a "matéria", que era pré-requisito de todos os cursos chamada "Vida em Sociedade: Boas Maneiras, Virtudes Humanas e Cristianismo para a Vida Cotidiana. Teve um efeito muito visível porque as ensinava a se portar em sociedade.

Atendendo a pedidos o Vida em Sociedade tornou-se blog para que outras voluntárias também pudessem utilizar essas informações em suas iniciativas. A Igreja Católica tem muitas voluntárias em todo o mundo. E todo esse trabalho de apoio às mulheres está baseado no pensamento do santo da vida cotidiana, São Josemaría Escrivá, que dizia que podemos oferecer a nossa vida diária como uma oração grata a Deus quando essa vida cotidiana é vivida com amor cristão.

Depois de tudo ensinado é só correr atrás de entrevistas e estágios para as meninas! A propósito, o material do Vida em Sociedade é de reprodução livre, se tiver utilidade para vocês, é só copiar e colar!E é isso.

Foi um prazer receber a sua resposta e conversar com você. Qualquer coisa estamos as ordens. Uma oração por essa terra linda de povo tão doce e educado!
Abraços,

Vida em Sociedade: Boas Maneiras, Virtudes Humanas e Cristianismo para a Vida Cotidiana
http://www.vidaemsociedade-sa.blogspot.com/
Vida em Sociedade a 12 de Agosto de 2010 às 20:49


mais sobre mim
arquivos
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro